terça-feira, 13 de agosto de 2013

Atriz Cristiana Oliveira deixa a Globo após 21 anos; entenda


Longe das telinhas desde uma participação feita em "Salve Jorge", de Glória Perez, Cristiana Oliveira não é mais contratada da Globo.

O compromisso da atriz com a emissora, que já vinha de 21 anos, expirou e não foi renovado.

Cristiana Oliveira chegou à Globo em 1992 após ter sido revelada pela Manchete, onde atuou em "Kananga do Japão" e mais tarde estourou como a Juma de "Pantanal". Assim que chegou ao novo canal, emplacou a protagonista de "De Corpo e Alma", também de Glória Perez, e de lá para cá foram raríssimos os anos em que estivesse totalmente longe da TV.

O último grande trabalho de Cristiana Oliveira na Globo foi em "Insensato Coração", onde interpretou a detenta Aracy. Ela abdicou da estética e engordou 15kg para interpretar o papel da vilã amarga e traiçoeira.

A atriz estaria lamentando a perda do contrato. Apesar disso, ela agora está livre para optar quais trabalhos fazer na emissora carioca ou fora dela.

Procurada pelo NaTelinha, a Comunicação da Globo ainda não se manifestou sobre o assunto.

Em tempo:

A Globo vem acumulando algumas baixas no decorrer dos últimos meses. Pedro Paulo Rangel, um dos veteranos da dramaturgia do canal, chegou a um acordo com a casa e seu contrato não foi renovado. Joana Fomm, outra das maiores atrizes da dramaturgia, não teve seu compromisso prorrogado.

No casting adolescente e jovem, as não-renovações também têm ocorrido com frequência. Alice Wegmann, a Lia da última temporada de "Malhação", não é mais contratada da casa. Kayky Brito é outro que foi dispensado assim que seu último contrato terminou.

Reestruturação:

O enxugamento do quadro de contratados fixos é uma política que a Globo passou a adotar a medida que acompanhou o enfraquecimento da Record. Até meados de 2005, a emissora não tinha um quadro extenso de contratados.

Com o fortalecimento da concorrente, o canal se viu obrigado a acertar vínculos de maior permanência com determinados nomes para evitar que eles migrassem para a rival, que, apesar de ter acenado com propostas financeiras altas para determinados nomes, tinha como principal benefício a estabilidade de um contrato de 4 ou 5 anos.

O enfraquecimento da Record acarretou uma nova reestruturção na Globo. Em ambas emissoras, apenas os nomes de primeiro time ou os considerados promissores é que estão sendo privilegiados com contratos longos e com salários garantidos independente de trabalho.

Na Telinha 

0 comentários:

Postar um comentário